Domingo, 17 de Fevereiro de 2008

A Memória e a Matemática

 Retirada de www.gogle.com

 

Antes de entrar no tema propriamente dito, julgo ser importante conhecer etimologicamente a palavra memória.

Memórias provem do grego mnêmê, derivado do verbo mnaomai que significa “pensar em, lembrar-se, desejar”. Tanto no grego como nas línguas latinas, nota-se a iteração “me”, dando a entender que não se pode memorizar sem repetição. Por outro lado, do verbo grego, deduz-se que o pensamento age em interacção com o desejo ou emoção, expresso no verbo “recordar” ou “aprender de cor”, isto não é mais do que aprender com o coração ou com motivação.

Quanto ao “esquecimento”tem na raiz o verbo latino cádere, cair, com o prefixo ex (movimento de dentro para for) a, isto é, esquecer é deixar cair ou perder o que se tinha fixado. (Oliveira, 2007, p.64)[1][1]

2Será possível aprender Matemática sem memória? Provavelmente não. Cada momento, cada aula é cheio de memórias. Todos os pensamentos, raciocínios, aprendizagens e comportamentos face à disciplina, são baseados na memória e é esta que permite ao sujeito o reconhecimento de regras, operações e propriedades.

O processo da memória integra três fases: a aquisição, a retenção e a recordação. Ora para que haja recordação é preciso apreender a informação, isto é, adquiri-la, seja pela percepção ou através de actividades mais complexas, uma vez adquirida, a informação é armazenada por períodos temporais que irão depender da importância e dos processos mentais subjacentes a esse armazenamento. Quando é necessário recuperar a informação, usa-se certos mecanismos para evoca-la e reconhecida para ser usada, quer na sala de aula quer no quotidiano.

Deste modo podemos dizer que a memória é” como um sistema aberto através do qual a informação entra (aquisição), é armazenada (retenção) e, quando necessária, é recuperada (recordação) ”. (Tavares, J., Pereira, Anabela S., Gomes, Ana A., Monteiro, Sara, Gomes, Alexandra, 2007, p. 21)

É fundamental exercitar a memória e fazer vários exercícios de memorização como a tabuada, as definições, as regras e as propriedades.

A compreensão surgirá depois da memorização e permitirá uma maior facilidade na aplicação de conceitos…





1 Oliveira, J.H.B. (2007) Psicologia da educação 1 - Aprendizagem/Aluno. Livpsic

2 Tavares, J., Pereira, Anabela S., Gomes, Ana A., Monteiro, Sara, Gomes, Alexandra (2007) Manual de Psicologia do desenvolvimento e aprendizagem. Porto Editora

 

 

publicado por comunimat às 00:13
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

.posts recentes

. Introdução

. A Memória e a Matemática

. COMUNICAÇÃO

. A novela da Matemática e ...

. Humor em Matemática é uma...

. O professor de Matemática...

. Há ainda quem resista!

.arquivos

. Fevereiro 2008

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds